Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Lama

Hoje trago uma gracinha, isso mesmo uma gracinha, que não devo repetir, assim como espero que os conselheiros ou a editora do José Matoso, também o façam.

Este tema é um samba brasileiro de 1952 da autoria de Paulo Marques e Alice Chaves, que entenderam servir para ser cantado como fado. A letra foi bastante alterada, sem que se perceba o motivo.

José Matoso dá-lhe um jeito porque não sabe cantar mal, mas como dizia o outro não havia "nexessidade", para mais alterando a paternidade do tema que dizem ser de Mayza Matarazzo, mais uma vez fica como exemplo da forma descuidada como as editoras de fado trabalham em Portugal

Esta é a letra que o Matoso canta

Se quiser beber eu bebo
Se quiser fumar eu fumo
Não me interessa mais ninguém
Se o meu passado foi lama
Agora quem me difama
Viveu na lama também

Comendo a mesma comida
Bebendo a mesma bebida
Respirando o mesmo ar
E hoje, por ciúme
Ou por despeito
Você acha-se no direito
De querer me humilhar

Quem és tu?
Quem foste tu?
Não és nada
Que aos teus olhos
fui errado
Tu foste errada também

Se eu errei
Se eu pequei
Pouco importa
Se aos teus olhos
eu estou morto
Pra mim morreste também




E agora a versão brasileira, a original cantada por Núbia Lafayette,

2 comentários:

Fernando Santos Ribeirinho disse...

Apenas quero informar o sr. Luis Maia com o objetivo de retificar que o video do fado Lama que postou no seu blog como sendo original não conrresponde á verdade, por tal motivo aconselho-o a fazer melhor pesquisa sobre o tema! É sim verdade esta canção foi escrita como samba e que é da autoria de Paulo Marques e Alice Chaves ambos compositores e letristas, composta e escrita em 1952. A primeira gravação em 1952 por Linda Rodrigues (Nome de batismo Sofia Gervazone) nascida a 11-8-1919 e faleceu em novembro de 1997. A segunda gravação por Elza Soares em 1953 (vêr filme: Chega de Saudade de 2007 com esta cantora a cantá-lo no filme. A terceira gravação por Angela Maria (Nome de batismo Abelim Maria da Cunha) em 1962. A Quarta Gravação por Carlos Alberto. Maisa Orth a última esposa do fotebolista Garrincha também o gravou seguindo-se as Cantoras Núbia Lafayette, Tania Alves, Cleonice Amaral e Maria Bethânia entre outros. (Nota esta retificação não serve como critíca mas sim Infomativa)Com os meus cumprimentos.

Luís Maia disse...

obrigado pela sua colaboração,mas acho que ficou claro que eu tentei esclarecer com poucas palavras a autoria do tema original