Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Caminhos sem fim

Ainda não tinha trazido a este meu espaço, uma das vozes fundamentais da história do Fado, Maria Teresa de Noronha, também ela já falecida no dia 4 de Julho de 1993.
De origem aristocrática,(Paraty) veio a tornar-se Condessa de Sabrosa pelo seu casamento com D. José António Barbosa de Guimarães Serôdio, grande admirador do Fado, e guitarrista amador com uma sensibilidade fora do comum. também ele autor de alguns fados que fizeram história e que ela igualmente cantou.

Agora, canta este fado com letra de Maria Rita de Carvalho e musica de Júlio Proença-Fado Proença.

Quantos caminhos cruzados
estrada feitas em bocados
vida que Deus baralhou,
o nosso amor foi mais forte,
e lutando contra a morte,
Deus afinal nos juntou.

Juntámos o nosso amor,
risos desgostos e dor,
sonhamos assim viver,
do sonho à realidade,
só nos separa a saudade,
e o desejo de esquecer.

Foi um minuto somente,
que perdura eternamente,
dentro de ti e de mim,
pode a vida separar-nos,
pode a sorte abandonar-nos,
este amor não terá fim.



2 comentários:

jaume disse...

Gosto muito deste poema que já tinha ouvido pela fadista Cidália Maria que acho mora em California.
Ela Te , pelo menos um cd "Memórias" o qual consegui do meu amigo Paulo Guerra de Lisboa.

lfm disse...

Gosto que tenha gostado

lfm