Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Adolescência perdida


Mais um fado na voz do Fernando Jorge e outra letra de António Rocha para o fado Carriche de Raúl Ferrão

Poema da minha vida
Sem velhice nem infância
Adolescência perdida
No mar da minha inconstância

Poema da minha vida
Fogo que perdeu a chama
Caminhada resumida
A sulcos feitos na lama

Sem velhice nem infância
Vão as verdades morrer
No limite da distância
Que há entre mim e o meu ser

Adolescência perdida
Em busca de mundo novo
E da razão construída
Com gritos vindos do povo

No mar da minha inconstância
Naufraga a causa perdida
A que tu dás importância
Poema da minha vida

Levas nas mãos amarradas
Vontades amordaçadas



video

Sem comentários: