Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

sábado, 8 de março de 2008

Eu quis demais

Fernando Farinha está aqui de novo cantando um fado com letra do próprio e música de Fontes Rocha.

Ai se eu pudesse,
riscar da vida,
anos vividos.

Já não queria,
pra recordar,
amores sofridos.

Em vez de dor

daria amor

pois tinha agora,

um coração,

para entregar,

a quem me adora.


Eu quis de mais
e por mais querer,
julguei ganhar
e fui perder.

Eu quis de mais

talvez até
sem saber

Eu quis de mais

coração dei,

gostei de ti

nada alcancei,

e tanto quis

ainda mais
pobre
fiquei.

Ai se eu pudesse
pagar a vida.
pra te esquecer

e ser feliz

podendo amar

outra mulher.

Que bom seria

viver um dia

esta vontade
longe ti

sem recordar

sem ter saudades




4 comentários:

fernando batista disse...

a letra do fado ( eu quiz demais ) é de autoria de fernando farinha e a música de josé fontes rocha . consultar o sit da s.p.a. . um abraço . saudações fadistas . fernando batista = porto

lfm disse...

Obrigado meu caro Fernando Batista

já rectifiquei a informação que tinha publicado.

fiquei a saber da informação existente no site do SPA, vou consultar mais vezes.

Sabe que muita da dificuldade de informação é o pouco cuidado que as editoras têm quando editam trabalhos de artistas em colocar o nome dos seus criadores.

O pouco cuidado nas casas de fado que os fadistas têm em não anunciar sequer o nome dos fados que cantam e NUNCA o dos seus criadores.

Um abraço
LFM

Jorge disse...

acho que no fado vadio em que eu sou espectador e por vezes cantador acho que quem assiste não lhes interessa quem escreveu quem é o autor! o que é preciso, é ouvir o que se canta e como se canta que é para depois quem nada de nada sabe de fado fazer a critica. Eu estou muito inserido no meio ambiente fadista....
Tenho pena de os próprios que o cantam não sintam como se deve cantar e como se devem calar mas para já é este o meu comentário.....

lfm disse...

Claro que o Jorge terá a sua opinião.

Mantenho a minha que o fado que cada fadista apresenta, resulta dum trabalho criativo dum poeta que escreveu a letra e dum músico que o inventou numa guitarra e numa viola.

Para além da informação que se deve dar a quem assiste eu digo que é uma questão de respeito por todos os intervenientes no fado que se vai escutar.

Olhe que eu já fui a muita casa de fados, que nem sequer os fadistas são apresentados, é preciso perguntar o nome ao empregado de mesa.

Acha bem meu caro Jorge ?

Lfm